No momento não temos obras deste artista no acervo.

Entre em contato conosco para solicitar obras do artista.


Luiz Áquila

LUIZ ÁQUILA
Biografia
Luiz Aquila da Rocha Miranda (Rio de Janeiro RJ 1943). Pintor, desenhista, gravador, professor. Em 1959 e 1960, tem aulas de pintura com Aluísio Carvão e de xilogravura com Oswaldo Goeldi. Muda-se para Brasília em 1962, e freqüenta cursos no Instituto de Arte e Arquitetura da Universidade de Brasília – UnB como aluno livre. Em 1965, recebe bolsa do governo francês e reside na Cité International des Arts [Cidade Internacional das Artes], em Paris. Nesse ano, viaja para Lisboa, e trabalha na Sociedade de Gravadores Portugueses. Permanece na Europa até 1968, quando volta ao Brasil e torna-se professor de desenho e plástica da UnB, função que exerce até 1972. Em seguida, vai a Londres e estuda gravura na Slade School of Fine Arts. Em 1978, coordena o Centro de Criatividade de Brasília, um projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco, e expõe na 27ª Bienal de Veneza. De 1979 a 1986, leciona pintura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage – EAV/Parque Lage, Rio de Janeiro, período em que exerce importante papel na formação dos jovens artistas da Geração 80. Em 1988, torna-se diretor dessa instituição, cargo que ocupa até 1990. Participa da 17ª, 18ª e 20ª Bienal Internacional de São Paulo em 1983, 1985 e 1989. Em 1988, transfere-se para Petrópolis, Rio de Janeiro. Em 1992, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM/RJ e, em 1993, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – Masp realizam mostras retrospectivas de seu trabalho.
Comentário crítico
Luiz Aquila começa a definir sua pintura nos anos 1970, ao realizar obras sobre papel, ligadas à abstração informal, nas quais a gestualidade é associada à geometria. Como nota o crítico Casimiro Xavier de Mendonça, as telas da década de 1980 são muito elaboradas, com espaços bem definidos, e o artista tem um ponto de partida intimista. Nesses trabalhos, concilia formas orgânicas e inorgânicas, e cria obras que evocam quase uma aerofotogrametria da paisagem.